Intervenções

50 anos do 25 de Abril - Manifesto de futuro

Reclamar o futuro é construir o progresso a favor da comunidade e distribuir todos os seus frutos. Afirmamos a certeza de que aqui cabe o mundo todo, todos temos o direito a viver em condições iguais e a ter o que precisamos para uma vida boa. Nos 50 anos do 25 Abril, este é o nosso manifesto pelo futuro.

Motoristas e estafetas das plataformas: Muito km para pouco dinheiro

Está na altura do governo respeitar os direitos laborais dos trabalhadores das plataformas, a começar pela concretização da revisão da lei Uber e reunindo com as associações e coletivos representativos dos estafetas e motoristas.

Qual a responsabilidade de Marco Galinha na situação da Global Media?

Chamado ao Parlamento pelo Bloco, o acionista e administrador do grupo deu o dito por não dito e meteu os pés pelas mãos. Falta de transparência e negócios obscuros, foi o que ficou à vista.

Este orçamento conforta quem vive do privilégio

Um por um, os problemas do país foram ignorados pela maioria absoluta. Pelas soluções, responderá agora o povo.

Política de habitação do governo é como um cão a correr atrás da própria cauda

Esta versão assistencialista do país que o PS escolheu prefere dar subsídios à classe média em vez por o mercado de habitação na ordem, arranja esquemas que endividam o futuro as famílias mas deixa intocados os lucros da banca.

Governo vai buscar o dinheiro a recursos essenciais que faltam na saúde e na educação

Enquanto arrasta as negociações com os médicos e deixa que se instale a confusão no SNS, o governo faz gala do dinheiro que lhe sobra e anuncia que o guardará numa espécie de Fundo Soberano mas, para financiar esse fundo, vai buscar o dinheiro a recursos essenciais que faltam em serviços públicos como a saúde e a educação.

O que é que vale mais, o direito à habitação ou o direito à especulação?

As políticas liberais do PS, com o aval de toda a direita, estão a negar o futuro das nossas cidades. A escolha a fazer é entre o direito à habitação e a proteção dos abusos do mercado.

Que estabilidade há quando falha a coisa mais básica de todas, que é ter uma casa digna que o salário possa pagar?

O Bloco está do lado de quem aqui quer viver, e que para isso só precisa de uma coisa: de uma casa que possa pagar. Para isso propomos medidas para controlar rendas, proibir a venda de casas a não residentes, limitar o aumento de rendas e a variação dos juros e acabar com a borla fiscal a residentes não habituais.

Governo quer SNS a funcionar à custa de centenas de horas extraordinárias

Há profissionais no SNS que chegam a fazer 500 horas extraordinárias, muito além do limite legal das 150 horas, correspondendo a mais quatro meses de trabalho por ano. Governo quer consagrar esta prática na lei e obrigar os profissionais a fazer centenas de horas extraordinárias para sempre.